Skip navigation

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), Portugal integra a lista dos países de risco no que concerne à prática de Mutilação Genital Feminina (MGF), um acto de extrema violência que compromete o futuro de milhões de crianças.
Promotoras de uma prática que consideram determinante na vida das suas filhas, milhares de pessoas abandonam a sua terra-natal e estabelecem-se num país cultural, económica e socialmente distinto do seu. Embora afastados do seu país de origem, procuram perpetuar as suas tradições, salvaguardar a sua identidade cultural; ignorando a controvérsia e/ou rejeição das suas acções na sociedade que os acolhe.
Em Portugal, as comunidades migrantes provenientes da Guiné-Bissau, Tanzânia, Costa do Marfim, Nigéria, Serra Leoa ou Ruanda, onde há uma notória prevalência da MGF; concentram-se em bairros, na sua maioria clandestinos, que eximem os procedimentos próprios da sua cultura do repúdio social. A área da grande Lisboa é a que exibe o maior número de imigrantes provenientes das regiões sobreditas.
Os imigrantes que pretendem circuncidar as suas crianças recorrem, com frequência, a parteiras ou a outros “profissionais” do seu país de origem, custeando deslocações e alojamentos, para além da cirurgia.
Em 2004, a Associação para o Planeamento da Família (APF), estribando-se em pressupostos como a não segregação social e auxílio às classes desfavorecidas, assinalou a premência de:1. abordagem intercultural e de respeito pelos Direitos Humanos em todos os documentos e iniciativas;
2. realização de estudos periódicos que permitam conhecer as necessidades das comunidades migrantes no que respeita a direitos e saúde sexual;
3. acesso reconhecido e generalizado a serviços e cuidados de saúde, educação sociais que acelerem o processo de integração;
4. implementação de medidas promotoras dos direitos das mulheres em Portugal e nos países em desenvolvimento com os quais mantêm relações diplomáticas;
5. possibilidade das mulheres imigrantes em Portugal exporem os seus pontos de vista sobre a MGF;
6. inclusão de práticas nocivas como a MGF nos conteúdos de formação e informação da APF;
7. incremento de módulos de formação sobre a violência intra e extra familiar que integrem problemas como MGF, abusos sexuais, exploração sexual;
8. estruturação de programas de saúde com o intuito de prevenir, actuar e apoiar os migrantes em Portugal em questões atinentes à Saúde Sexual e Reprodutiva, Violência de Género, VIH/SIDA e Erradicação da Pobreza;
9. tratamento do tema de MGF e subgéneros nos programas de Educação Sexual, Desenvolvimento Pessoal e Social e Igualdade de Oportunidades.
10. (…)
A MGF é a prova de que ainda há um íngreme caminho a percorrer para que os Direitos Humanos extrapolem o plano teórico e se concretizem na sociedade.
Não devemos adoptar uma postura de fleuma; a erradicação desta prática depende, em grande parte, de nós!
Anabela Santos

2 Comments

  1. Olá meninas!!! Finalmente comento o Blog! Estou deveras impressionada! Apesar de não partilhar com vocês todos os vossos ideais radicais relativamente à posição da mulher na sociedade actual, tenho que reconhecer que devemos, todos nós, homens e mulheres, estar diariamente informados sobre o que acontece às mulheres neste século XXI, que mais parece o “século da idade da pedra” tendo em conta toda a informação que o vosso blog transparece!! Só assim não seremos “ignorantes ao ignorar” o que se passa com as mulheres que nos rodeiam!
    Fiquem bem e continuem!!!
    Beijinhos!

  2. ¿Admites comentarios en español? Yo puedo entender bien el portugués pero no escribirlo. ¿Te ocurre lo mismo a ti con el español?
    Tu blog es muy interesante y comprometido. Yo mantengo uno personal, como bitácora, pero también otro en el que publico artículos sobre inmigración y feminismo.
    Te visitaré de vez en cuando. Enhorabuena, lo haces muy bien.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: