Skip navigation


“ Á medida que atravesso o rio, a nado e com custo, vou raspando a tinta com que me pintaram.”

A Violência Sexual contra as mulheres, crianças e adolescentes está ligada não apenas à exploração para fins sexuais, mas também para fins comerciais. Desta forma, fala-se em vários tipos de violência: prostituição tradicional; tráfico de mulheres, crianças e adolescentes de cariz sexual; turismo sexual e pornografia via Internet e convencional. Tudo isto insere-se num quadro de relações económicas, sociais, comerciais, financeiras que na linguagem de um cidadão comum refere-se ao “Abuso Sexual”. Assim, alguns estudos apontam para o facto dos envolvidos já terem sofrido algum tipo de violência intra-familiar e violência extra-familiar. No entanto, a grande fatia percentual diz-nos que são as mulheres as mais afectadas pela violência intra – familiar nomeadamente pelo abuso sexual, por sua vez, explicado pela sedução, abandono, negligência, maus – tratos, violência física e psicológica. De facto, existem outros tipos de violência que também envolvem as mulheres em contextos mais lactos: na Escola, na Rua, no Trabalho; naqueles pequenos lugares que na imaginação de todos poderiam constituir verdadeiros portos de abrigo. Estas mulheres são na sua maioria de classe média baixa, algumas provenientes de classes populares, detentoras de um nível de habilitação socioeducativo baixo. Geralmente, habitam em espaços deficitários com saneamento escasso, com falta de equipamentos de deslocação para poderem recorrer a instituições de apoio psicológico, social e moral e vivem, na sua maioria, com algum familiar geralmente do sexo masculino. Para não fugir à regra, este individuo, normalmente, é o agressor. Numa perspectiva sociológica, este actor desempenha baixos papéis sociais, sentindo-se um desviante da norma e um representante do caos e da destabilização social. Contudo, o agressor pode ser alguém com actividades laborais de baixa exigência ou no sentido inverso. Em Portugal, o tráfico para fins sexuais é, predominantemente, de mulheres de raça branca, seguindo-se as mulheres de descendência africana. Este tipo de trafico começa, geralmente, aos 15 anos. Inicialmente, a exploração sexual emerge de uma rede de entretenimento de jovens adolescentes em lugares como: boates, bares, motéis, restaurantes, discotecas, casas de show, escolas de dança, casas de massagens, etc. Atente-se, também, no facto da transição para o designado “Mercado de Moda”: o segundo maior valor percentual aponta para as agências de modelo assim como para as agências de emprego (empregadas domésticas, baby-sitters, acompanhantes de viagens…).
Nesta linha de pensamento, enuncia-se que a prostituição e o tráfico são formas de violência e são definidas como tal na Convenção sobre a Eliminação de todas as formas de Discriminação contra a Mulher. A prostituição e o tráfico de mulheres são questões exaustivamente abordadas e condenadas pela legislação internacional e comunitária. Desta forma, o papel do Estado no controlo desta veia psicosociológica é essencial na abordagem integral e integradora da questão da violência. Em jeito de exemplo, deverá ser articulada a temática da “condição feminina” com as suas componentes fundamentais: planos práticos de intervenção e de actuação numa Sociedade desorganizada e sem identidade de género. Esta não é nem será uma problemática de cariz individual, este é sem dúvida um fenómeno de consciência colectiva, de solidariedade social.
Ana Ferreira
Advertisements

4 Comments

  1. olá!
    hoje sou tio e amanhã espero e sonho ser pai e o k + desejo e me vou empenhar é na felicidade da minha familia! O ambiente familiar é fundamental na formaçao de uma criança! infelizmente milhões de crianças ñ sao felizes por causa dos seus pais ou proximos pra fins variados! PARABENS pelo excelente trabalho! tens todo o meu apoio!!!

  2. olá tuché. O sonho de alguem ser pai ou ser mae é de todo legitimo e pertinente. Mas como já te disse, “antes de ensinar a crescer, é preciso ajudar a crescer.” O espenho da Sociedade é sem duvida o reflexo de um comportamento mais micro (de caracter familiar). Há outros berços ainda por construir… Obrigado pela força. Nós agradecemos:)

  3. olá special girl!!!! 🙂
    Nunca te canses de fazer o bem porque eu nunca me canso! a solidariedade é mto importante kando se vive em sociedade e se cada um fizer um pouco pelo seu proximo de certeza k ñ haviam tantas desigualdades sociais!!!!!!!!!!!
    bjs pra mulher + especial k conheci até hoje!!!!!!!!!!!!

  4. Caro colega:
    A solidariedade divide-se em duas grandes perspectivas enunciadas por um dos sociologos classicos: solidariedade mecanica e solidariedade organica. Uma emerge das ditas Sociedades envolvidas pelo uso dos costumes, das normas, da tradiçao, a outra emerge de uma Sociedade dita Moderna, Civilizada. Para se perceber a justiça nao é preciso ser adepto nem de um modernismo nem de um tradicionalismo extremos. É fundamental, de facto, uma Solidariedade justa, meritocratica (aptidao ou valor moral e/ou intelectual para o exercicio de uma oportunidade social:ser justo),cooperativa (interactiva),informal,etc.Ser solidario nao é entregar o peixe, é ensinar a pescar (velha maxima chinesa). O desenvolvimento de um Estado unificado e mobilizador estao na base daestabilizaçao social.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: