Skip navigation

Por volta dos anos 50, muitas mulheres delegavam poder ao Estado Ditatorial, por meio de cartas ou de escritos que ficaram célebres na História Ditatorial Portuguesa. De facto, muitas cartas encontradas em alfarrabistas mostram a gratidão, de muitas destas mulheres, ao emblemático ditador que tinha como fim mobilizar,as mesmas,em nome daquilo que considerava ser a Ordem, a Paz e sobretudo a defesa da Pátria. Sartre vem-nos confirmar esta ideia: “O Homem consegue mudar a situação daquilo que a Sociedade fez dele”, ou seja, apesar da obediência e da submissão intencional destas mulheres, as últimas deveriam respeitar e contribuir para a consolidação de um Estado forte. Pretende-se, de facto,confrontar, hoje, as mulheres com os fantasmas do passado e tendo como apoio um material de arquivo inédito, “Cartas a uma ditadura” é um mergulho perturbador no obscurantismo que dominou Portugal por mais de 50 anos. Esta é,sem dúvida,uma história que Inês de Medeiros há tanto protagonizou. Atentemos nos relatos de algumas mulheres:

1. Manifestações de apoio a Salazar:
As mulheres, com menos ideias políticas, menos exigentes, menos complicadas, com noções de valores muito mais restritas, estão hoje aqui a dizer: Obrigado Salazar!” (locutora de rádio)2. Escritos
A ideia deste movimento era ter uma tropa feminina, mas não era para combater. Era uma tropa forte, que se todas tivéssemos que dizer não, era não. Mas também não sabíamos bem a quê.”

3. Eleições de 1958:

Não sabíamos bem o que é que o General Delgado ia dar, se era melhor ou pior do que o Salazar. Na altura creio que se pensou que ele era uma espécie de Hitler ou de Mussolini…ou que não era. Agora é que me está a parecer que era um homem bem intencionado.”4. Salazar:

“Era um belo homem, um homem muito bonito e atraente.”“Havia muitas mulheres que adoravam Salazar. Uma amiga minha dizia que tinha três homens na sua vida: o marido, o filho e o Salazar…”

“Eu era uma admiradora de Salazar, porque achava que ele era um homem muito sério. Mas naturalmente havia de ter deficiências. Perfeito só Deus.”

5. O ideal feminino:

“A mulher deve ser o anjo do lar. Uma mulher pode fazer um homem muito bom ou muito mau.”
“O papel da mulher casada é a casa. A casa, eu digo sempre às minhas filhas, é a coisa principal! O meu pai dizia: um homem, para andar satisfeito, tem que ter uma boa mesa! Chega a casa, comeu bem, está bem servido!”
Ana Ferreira

One Comment

  1. Engraçado encontrar este post antigo. O filme estreou hoje no circuito comercial. Está a passar no cinema Londres.

    Cordiais saudações,

    Condessa X


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: