Skip navigation

Os media adquirem uma importância suma no empolamento dos acontecimentos, na formação das percepções individuais e colectivas, detendo funções de divulgação, sensibilização e denúncia dos problemas corrosivos das sociedades modernas.

O tráfico de seres humanos, que subjuga cerca de 600 mil pessoas só na Europa, é um dos tumores hodiernos cujo combate depende grandemente do contributo dos meios de comunicação social. Omnipresentes, contribuem para o esclarecimento dos cidadãos acerca dos meandros deste fenómeno, da trajectória das vítimas, das condutas dos traficantes. No entanto, a cobertura mediática do tráfico humano situa-se muito aquém do desejável: brevidade, ligeireza e confusão com crimes adjacentes como o auxílio à imigração ilegal (smuggling) são os traços mais proeminentes dos media nacionais e internacionais. 

Embora dotada de valor-notícia, a temática do tráfico humano encontra inúmeros obstáculos aquando da penetração na agenda dos media, que redundam, não raras vezes, num tratamento noticioso assaz insuficiente. Os constrangimentos diários impostos aos jornalistas, a concepção de noticiabilidade da empresa de comunicação, o interesse da audiência e os custos inerentes ao processo de investigação são factores determinantes para a cobertura de matérias atinentes aos direitos humanos, como o é o caso do tráfico humano. 

Então, pensemos: Como apelar ao sentido de noticiabilidade dos media e concentrar a sua atenção no fenómeno do tráfico humano?

Enquanto a resposta não se ilumina nas nossas mentes, a Iniciativa Global da ONU contra o Tráfico de Pessoas (UN.GIFT) apresenta algumas advertências, apelando aos media para que sejam sensíveis, não sensacionalistas, objectivos e precisos na abordagem deste fenómeno. Recomenda ainda a protecção da identidade das vítimas, a fuga a questões que firam a sua dignidade, o apuramento fidedigno das suas condições de (sobre)vivência, a ênfase na sua posição de vítima, a análise dos instrumentos legais existentes e a inclusão de uma linha telefónica anti-tráfico.

Anabela Santos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: