Skip navigation

A actriz e feminista Maria de Medeiros tem, a partir de agora, um papel fundamental na promoção social da Paz.

A nomeação pretende tirar partido da “visibilidade, carisma, qualidade artística, polivalência, sensibilidade e empenho nas grandes causas do mundo contemporâneo demonstrados por Maria de Medeiros” para difundir os valores e as iniciativas da UNESCO junto do público português e internacional, diz um comunicado do ministério português dos negócios estrangeiros.

“É sem dúvida uma grande honra para mim. Foi uma surpresa quando me contactaram, mas sinto um grande orgulho e também uma grande responsabilidade”, declarou Maria de Medeiros à agência Lusa.

“Estou seguro de que Maria de Medeiros valorizará e dignificará os altos valores da UNESCO em domínios tão diversos como a promoção da criatividade, das artes vivas, das indústria culturais e da educação artística”, afirmou o director-geral da UNESCO, Koichiro Matsuura, que presidirá à cerimónia de nomeação, a 17 de Março em Paris.

Sobre este reconhecimento do seu percurso artístico e humano, a artista afirmou que “todo o trabalho artístico é naturalmente orientado para a paz.”

Maria de Medeiros explicou à Lusa a sua adesão ao novo “papel” que interpretará para a UNESCO (onde já estiverem artistas como Gilberto Gil, Joaquin Cortés, Céline Dion ou Shirley Bassey), reconhecendo que “a cultura, a educação e a paz são valores fundamentais, a que uma pessoa adere automaticamente”.

O maestro António Vitorino de Almeida, pai de Maria de Medeiros, foi informado pela agência Lusa sobre esta nomeação e admite tratar-se da “escolha acertada”.

“É alguém profundamente interessada nos problemas portugueses, na cultura portuguesa”, contou à Lusa o maestro, sublinhando a convicção “política mas não partidária” da filha.

“Não tem qualquer submissão partidária, é apaixonada e independente”, contou Vitorino de Almeida.

A primeira portuguesa a ser nomeada “Artista UNESCO para a Paz” considera que esta distinção pode contribuir para dar maior visibilidade à arte e aos artistas portugueses: “É uma grande esperança que tenho e vou trabalhar nesse sentido”.

“Não nos faltam artistas – temos em Portugal um grande potencial artístico. Falta é uma política de promoção destes artistas”, sublinhou Maria de Medeiros.

Também Vitorino de Almeida aproveitou o momento para valorizar as expressões artísticas portuguesas e criticar a actual reforma do ensino artístico proposta pela ministra da educação:”a arte em Portugal tem de lutar por si própria contra esta tirania destrutiva da cultura”.

A actriz, que recebeu o apoio do governo e que terá a companhia de João Cravinho, secretário de estado dos negócios estrangeiros, na cerimónia de nomeação, elogiou para já a promoção da educação artística que Portugal tem defendido no âmbito da UNESCO.

“O governo português propõe não só a presença das artes na educação mas uma ‘educação pela arte’, que tem efeitos muito positivos”, explicou Maria de Medeiros à Lusa.

Fonte: SIC online

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: